Andréia Sversut
Assessoria Carlos Fávaro

O presidente do PSD e pré-candidato ao Senado Federal, Carlos Fávaro, comemorou a decisão do Superior Tribunal Federal (STF), que derrubou a liminar que suspendia a parceria da Telebrás com a empresa americana Viasat para exploração do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC). Em função da liminar, que ocorreu nesta semana, o programa ‘Internet para Todos’ estava suspenso desde abril, assim como outros programas de banda larga que dependem da utilização do satélite brasileiro. 

“Essa é uma grande notícia que temos que comemorar. Com o apoio do ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, me empenhei muito para que todos os municípios mato-grossenses fossem cadastrados. E, para isso, contei com a parceria dos prefeitos, vereadores e lideranças de cada município que nos ajudaram nesse trabalho. Essa decisão é uma grande conquista de todo o time PSD. Com certeza, esse será um programa que revolucionará a vida da nossa população”, enfatizou.

A Telebrás informou  que a estatal e a Viasat estão prontas para a instalação de 15 mil pontos de conexão do programa, que vão atender escolas, postos de saúde, comunidades quilombolas e aldeias indígenas de todo o país. De acordo com o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), a previsão é de que mais de 53 milhões de brasileiros sejam beneficiados com o programa.

“Imagine o que isso significará para o nosso estado, que é destaque mundial na produção agrícola, mas ainda precisa avançar muito na área de tecnologia da informação e comunicação. Além do ganho econômico, que garantirá emprego e renda para a população, o programa tem um cunho social muito importante, abrindo um leque de oportunidades de conhecimento e qualificação para os mato-grossenses”, garantiu Fávaro.

Para participar do programa, os prefeitos assinaram um termo de adesão com o MCTIC, onde foi definido a infraestrutura básica e as condições para a participação. As prefeituras cadastradas já indicaram onde as antenas – cedidas pelo governo federal – serão instaladas para distribuição do sinal de internet. Caberá aos   municípios garantir a segurança da área e arcar com as despesas de energia elétrica.

O satélite brasileiro foi lançado em órbita no dia 4 de maio de 2017 com investimentos da ordem de R$ 2,8 bilhões, devido a uma parceria do MCTIC com o Ministério da Defesa. Primeiro do país de uso civil e militar, o SGDC terá vida útil de 18 anos.