Em um dos programas veiculados durante a propaganda eleitoral, o candidato ao Senado, Carlos Fávaro (PSD), destacou a alta produção de algodão no estado. O candidato informou que cerca de 70% de todo algodão produzido no Brasil vem de Mato Grosso. Para ele, é fundamental melhorar a cadeia do algodão, que produz tanto, mas que gera poucas oportunidades à população.

“Essa é uma das grandes riquezas do nosso estado. São mais de 3 milhões de toneladas por ano e somente uma parte mínima, fica no estado. E isso porque não temos indústrias de tecelagem ou confecção. É por isso que eu sempre digo que o nosso estado tem que estar preparado para os mato-grossenses”, afirmou.

Segundo ele, uma das formas para viabilizar a agregação de valor ao produto é firmar parcerias com a iniciativa privada. “Assim é possível implementar indústrias de tecelagem, pois não temos nenhuma em Mato Grosso. Além disso, nossas universidades federal, estaduais e institutos técnicos podem preparar o nosso povo para esses empregos, como faz o projeto Japuíra”.

Fávaro acompanha trabalho do Projeto Japuíra

O projeto citado pelo candidato é uma iniciativa dos cotonicultores associados à Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa-MT) e que tem como objetivo qualificar mão de obra para a indústria da confecção. “Gente mais preparada tem melhores empregos e melhores salários. Eu quero ajudar a renovar e mudar a vida das pessoas. Esse é o meu compromisso, a minha missão”.

Hoje, Mato Grosso conta com 800 mil hectares de área plantada de algodão e apenas cerca de 5% do produto permanece no estado. O Brasil fica com 40% e o restante, 58% é destinado à exportação. “Quero representar a força política de Mato Grosso na mesma proporção e grandeza da sua força econômica. Quero trabalhar muito para trazer de volta as riquezas que nosso estado gera ao país”, enfatizou.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.