O secretário de Administração da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado, Joilson Pereira dos Reis, declarou, na tarde desta segunda-feira (24), que a entidade apoia a candidatura de Carlos Fávaro (PSD) para o Senado Federal. O anúncio foi feito durante reunião que contou com a presença de representantes do movimento sindical da agricultura familiar de todo o estado, do candidato ao governo, Mauro Mendes (DEM) e do suplente ao Senado, José Lacerda.

“O nosso presidente, Nilton José de Macedo, não pode estar presente devido a uma demanda no interior do estado, mas pediu que eu o representasse para dizer que a Fetagri-MT é 100% Fávaro para o Senado Federal. Acreditamos no trabalho que o candidato pode fazer pela nossa categoria e o apoiamos de maneira incontestável. É o nosso candidato”, enfatizou ele.

Para Fávaro, o apoio da Fetagri-MT é resultado do seu comprometimento com a classe e de sua história na agricultura familiar. “Eu vim da pequena propriedade, sei das dificuldades diárias desses trabalhadores. Eu acredito que não existem duas agriculturas, uma que dá certo e outra que não dá. Tudo é agricultura que produz alimento e gera rentabilidade. A única diferença é que a pequena propriedade precisa do auxílio do estado para se desenvolver, precisa de assistência técnica, de uma Empaer fortalecida e de linhas de crédito mais acessíveis”, afirmou.

Veja mais:

http://carlosfavaro.com.br/id/favaro-vai-trabalhar-por-melhorias-na-agricultura-familiar/

Como exemplo, ele citou a capacidade de produção em um hectare de terra. “Vamos supor que em um hectare produza 150 sacas de milho, é uma média alta, mas se for vendido R$ 20 a saca de milho, a renda bruta será de R$ 3 mil por hectare. Esse mesmo hectare de milho, rende 60 mil espigas, que se for vendida por R$ 0,50 cada irá gerar R$ 30 mil para a agricultura familiar, pois o grande produtor não vai plantar milho verde para vender porque não é a vocação dele, ele não tem mão-de-obra para isso. E não estou falando do que eu sonho ou imagino, essa rentabilidade é real”, ressaltou ele.

O candidato Mauro Mendes, aproveitou que estava reunido com representantes da classe para esclarecer que é um defensor da agricultura familiar. “Eu nasci na agricultura familiar, sou filho de uma família humilde do interior de Goiás, com mãe analfabeta, nove irmãos, todos criados na roça. Eu tenho plena convicção da importância e do que pode representar uma reestruturação da cadeia da agricultura familiar. Como governador, darei todo apoio possível a esse segmento da economia”, garantiu Mendes.

Ele também informou que, na manhã de hoje, esteve com Carlos Fávaro na empresa Mika e constataram grandes possibilidades para a agricultura familiar. “Está sendo montada uma nova linha que vai consumir 200 mil toneladas por mês de polvilho e o polvilho virá do interior do Paraná porque hoje Mato Grosso não tem nenhuma fecularia que esteja funcionando. Imaginem quantos empregos estamos deixando de ser gerados somente para essa indústria. Temos que preparar essa cadeia para atender demandas como essa e também para ganhar outros mercados”, disse ele.

Durante a reunião, o ex-presidente da Fetagri-MT, Adão da Silva, destacou a força da entidade e a importância de contar com o apoio do Fávaro no Senado para a agricultura familiar e para os trabalhadores rurais. “A Fetagri-MT  está presente em 125 municípios do estado, além de mais 16 extensões de base, girando em torno de 550 mil associados entre a agricultura familiar e assalariados rurais. Confiamos no Fávaro e também em Mauro Mendes, pois acreditamos que farão muito pela nossa categoria e pelo nosso estado”.

O ex-presidente da Fetagri-MT fez questão de afirmar que a entidade confia em Fávaro e em Mauro Mendes, pois acredita que farão muito pela categoria e pelo desenvolvimento do estado

PROPOSTAS

Fávaro se comprometeu com a agricultura familiar e incluiu os principais pontos de pauta debatidos pelo movimento sindical, coordenado pela Fetagri-MT. Entre eles, irá atuar pela recriação do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), agregado ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), pelo aumento do teto de financiamento para custeio e investimento nas linhas do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e pela redução nas taxas de juros.

O candidato também dará apoio por meio de emendas parlamentares, a organização da produção, de agroindústrias, logística (Centrais de Abastecimento Regionais) e transporte, com o objetivo de fortalecer a agricultura familiar sustentável e possibilitar maior geração de emprego e renda no campo. “Também quero trabalhar para facilitar o acesso ao crédito para a agricultura familiar e apoiar os agricultores para se fortalecerem no associativismo e no cooperativismo, pois foi assim que construí minha história de vida”, pontuou Fávaro.

Nas propostas constam, ainda, suporte para a reestruturação do Incra, em especial o de Mato Grosso, com recursos orçamentários para atender a demanda das famílias que aguardam a efetivação da reforma agrária, e os aportes financeiros para atender a demanda da agricultura familiar nos programas do governo federal, para realizar a regularização fundiária em áreas públicas federais e para a realização de georreferenciamento nos assentamentos, Cadastro Ambiental Rural (CA) a custo zero para o assentado e titulação imediata das famílias assentadas.

 

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.